“Quem vai pagar por isso?”, Márcio Jerry alfineta Sergio Moro

Brasília, quinta-feira, 27 de agosto de 2020 - 12:11

POLÍTICA

“Quem vai pagar por isso?”, Márcio Jerry alfineta Sergio Moro


Por: Nathália Bignon*

Por unanimidade, os juízes consideraram que não havia provas suficientes para condenar Paulo Ferreira, ex-tesoureiro do PT. Ele chegou a ficar preso por entre junho de 2016 e fevereiro de 2017, alvo de uma das fases da Lava Jato, comandada por Moro.

Reprodução da Internet

Nesta quinta-feira (27), o deputado Márcio Jerry (PCdoB-MA) usou as redes sociais para alfinetar o ex-juiz da Lava Jato e ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro, Sergio Moro, sobre as últimas decisões do Tribunal Regional Federal, que absolveu o ex-tesoureiro do PT, Paulo Ferreira.

“Foi preso em 2016, pagou fiança vendendo bens e agora é reconhecida a inexistência de provas. E aí, Sergio Moro, quem vai pagar por isso?, questionou o deputado, atual vice-líder de seu partido.

Por unanimidade, os juízes federais que julgaram o caso na quarta-feira (26) consideraram que não havia provas suficientes para condenar Paulo Ferreira. Ele chegou a ficar preso entre junho de 2016 e fevereiro de 2017, alvo de uma das fases da Lava Jato, comandada por Moro.

Na época, Sergio Moro estipulou fiança de R$ 1 milhão para que o ex-tesoureiro deixasse a cadeia. A pedido da defesa, que alegou incapacidade financeira, o valor foi depois diminuído para R$ 200 mil pela juíza substituta no Paraná, Gabriela Hardt. Para pagar a quantia, Ferreira vendeu um consórcio e dois carros.

Moro atuou como juiz federal em Curitiba e esteve por 12 anos na magistratura, antes de integrar o governo Bolsonaro. Ele teve uma atuação reconhecida internacionalmente na Lava Jato, sendo responsável por determinar a prisão de políticos e empresários acusados de corrupção.

No entanto, foi acusado de violar o devido processo legal ao colaborar com o Ministério Público durante os processos e enfrenta ações no Supremo Tribunal Federal (STF) que questionam sua imparcialidade durante a condução das ações penais. Moro deixou o cargo de juiz para ser ministro da Justiça do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e saiu em meio a polêmicas ao acusar o chefe do Executivo de tentar interferir na Polícia Federal.

*Ascom deputado Márcio Jerry









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com