Deputados condenam descaso de Bolsonaro sobre vacina contra Covid-19

Brasília, segunda-feira, 26 de outubro de 2020 - 16:57      |      Atualizado em: 28 de outubro de 2020 - 13:26

POLÍTICA

Deputados condenam descaso de Bolsonaro sobre vacina contra Covid-19


Por: Da Redação

Presidente questionou a corrida pela vacina quando Brasil ultrapassa os 157 mil mortos pela doença.

Reprodução da Internet
Bolsonaro mantém recusa a vacinas contra Covid-19 e defesa de cloroquina para tratamento da doença

“Não sei por que correr”, disse Jair Bolsonaro sobre a vacina contra a Covid-19. A declaração dada a apoiadores nesta segunda-feira (26) na porta do Palácio da Alvorada repercutiu entre os parlamentares do PCdoB.

Vice-líder da Minoria, a deputada Alice Portugal (BA) voltou a classificar o presidente como “genocida”, após a fala. “Mais de 157 mil pessoas já morreram pela Covid-19 no Brasil e Bolsonaro continua fazendo disputa política em cima da vida das pessoas. Nenhum presidente que se preocupa com seu povo falaria que não sabe por que correr com a vacina para a doença. Bolsonaro irresponsável e genocida”, declarou.

O deputado Daniel Almeida (BA) também respondeu o questionamento do presidente enfatizando número de mortos causado pelo novo coronanírus. “Bolsonaro disse que não vê motivos para correr com a vacina preventiva da Covid-19. As mais 150 mil mortes no Brasil respondem esse questionamento sem noção do presidente. No mundo, já passamos de 1,1 milhão de mortes, e ainda há pessoas se contaminando”, afirmou.

Já a deputada Jandira Feghali (RJ) usou a ironia em suas redes para rebater Bolsonaro. Ao postar fotos emblemáticas do impacto da pandemia na vida da população brasileira, como as inúmeras covas abertas em Manaus, a parlamentar escreveu: “Bolsonaro: "Não sei pra que essa pressa pra vacina". Pois é, gente, tá tudo tão tranquilo...”.

Segundo a Universidade Johns Hopkins, o coronavírus já infectou mais de 43 milhões de pessoas no mundo e matou mais de 1,1 milhão. No Brasil, são mais de 157 mil óbitos.

Aos seus apoiadores, Bolsonaro declarou que, de acordo com as informações que chegaram até ele, a vacina mais rápida até hoje levou quatro anos entre o desenvolvimento das pesquisas e o processo de aprovação. Disse que, diante disso, não entende a pressa por um imunizante contra a Covid-19.

“Nós queremos é buscar uma solução para o caso. Todo mundo diz que a vacina que menos demorou até hoje foram quatro anos. Eu não sei por que correr em cima dessa presidente”, disse Bolsonaro.

Nas últimas semanas, ele já havia atacado a produção da coronavac, vacina que vem sendo desenvolvida pelo Instituto Butantan, um dos maiores centros de pesquisa biomédica do mundo, localizado em São Paulo, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac Biotech. Após o Ministério da Saúde afirmar que havia solicitado 46 milhões de doses da vacina, Bolsonaro rebateu e afirmou que “o povo brasileiro não seria cobaia da vacina chinesa".

O veto de Bolsonaro à aquisição da vacina levou partidos da Oposição a acionarem o Supremo Tribunal Federal para impedir que o governo federal adote medidas que possam dificultar a colaboração entre os órgãos competentes no desenvolvimento e aquisição de vacinas visando o controle da disseminação do novo coronavírus. 









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com