Ofensa contra Paulo Freire provoca enxurrada de críticas a Bolsonaro

Brasília, segunda-feira, 16 de dezembro de 2019 - 14:24

POLÍTICA

Ofensa contra Paulo Freire provoca enxurrada de críticas a Bolsonaro


Por: Da Redação, com informações da assessoria do deputado Márcio Jerry

Presidente começou a semana atacando o patrono da educação brasileira. Para Bolsonaro, Paulo Freire é um “energúmeno”.

Reprodução da Internet

Uma avalanche de críticas a Jair Bolsonaro invadiu a internet nesta segunda-feira (16), depois do presidente tecer comentários nada elogiosos ao educador Paulo Freire e ao papel desempenhado pela TV Escola. Referindo-se a Freire como “energúmeno”, o presidente virou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais.

“Que tipo de pessoa é essa? Bolsonaro odeia tudo aquilo que orgulha todos os brasileiros que tiveram sucesso, todos os que fizeram ou fazem o bem. O fracasso subiu à cabeça de Bolsonaro”, criticou o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP).

Depois de postar uma imagem com a estátua de Paulo Freire, o vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA), afirmou que o mandatário deveria ‘limpar a boca’ antes de citar o educador. “Esse presidente é a expressão acabada do imbecil, do boçal, ignorante. Limpa a boca para falar o nome do mestre Paulo Freire, Bolsonaro.”

A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) também se manifestou contra os ataques de Bolsonaro ao educador brasileiro reconhecido em todo o mundo. "Bolsonaro insiste em atacar aquele que deixou um legado para a nossa educação. Chamar Paulo Freire, patrono da Educação brasileira, de "energúmeno" é de uma ignorância sem tamanho desse presidente que é inimigo do Brasil. Paulo Freire, sim! Bolsonaro, não!", manifestou.

Já a líder da Minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) aproveitou a oportunidade para cobrar do presidente ações concretas para a melhoria de vida da população brasileira.

“Bolsonaro, você pode chamar Paulo Freire do que bem entender. O que o senhor acha ou deixa de achar não vai mudar o fantástico papel dele na história da educação brasileira. Mas diz pra gente, e os empregos? E o preço da gasolina, da carne? O que o senhor vai fazer para aliviar o povo?”, questionou.

Declarado patrono da educação brasileira em 2012, Paulo Freire já foi alvo de Bolsonaro outras vezes. Em uma entrevista no canal do YouTube "Esther e famosos", exibida em abril deste ano, o presidente chegou a afirmar que retiraria em breve retiraria o título concedido ao educador. Em abril deste ano, um então correligionário de Bolsonaro, o deputado Heitor Freire (PSL-CE), apresentou um projeto de lei para revogar a Lei 12.612/2012, que declarou o educador pernambucano patrono da educação brasileira.

Na última sexta-feira (13), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou a não renovação do contrato com a TV Escola, que vigorava desde 1995. A decisão recebeu apoio de Bolsonaro, que alegou a baixa audiência do canal. O presidente disse ainda que a programação oferecida servia apenas para “deseducar” crianças.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com