Deputados dizem que Moro tem biografia manchada e coordenou movimento de destruição da política no Brasil

Brasília, segunda-feira, 9 de novembro de 2020 - 15:35

POLÍTICA

Deputados dizem que Moro tem biografia manchada e coordenou movimento de destruição da política no Brasil


Por: Da Redação

Deputados criticam ex-ministro do governo Bolsonaro, que está tentando se viabilizar politicamente.

Reprodução Intagram
Moro e Huck teriam se encontrado no apartamento do juiz em Curitiba no dia 30 de outubro e acertaram a intenção de união

Deputados do PCdoB criticaram nesta segunda-feira (9) Sergio Moro, após o jornal Folha de S. Paulo noticiar que o ex-ministro do governo Bolsonaro se reuniu com o apresentador Luciano Huck para tentar viabilizar uma aliança mirando a eleição presidencial de 2022.

“O Sergio Moro foi um juiz ladrão a serviço de um esquema ilegal e antidemocrático para fraudar processo político no Brasil. Ele é isso, apenas. Portanto uma biografia manchada de nódoa que não se apaga”, disse o vice-líder da legenda, deputado Márcio Jerry (MA).

O deputado Orlando Silva (SP) também comentou a notícia. Para ele, o jornal Folha de S.Paulo transformou o “centro político” em um conceito “tão largo e gelatinoso, que não significa nada”, ao colocar Moro como alguém moderado.

“Para a Folha, ser de "centro" significa usar os talheres para comer, não defender a tortura em público - só a psicológica, praticada pela Lava-Jato - e não pastar no cercadinho do Planalto diariamente. Agora Sergio Moro, o Savonarola do direito, é considerado “centro”. Onde? O lavajatismo foi o movimento consciente de destruição da política para reinar entre escombros. Moro foi ministro de Bolsonaro, o déspota ruminante que governa o Brasil e é sabidamente fascista. Não sei se é intencional, para isolar Bolsonaro, ou se completa desorientação política. Fato é que a Folha de S.Paulo transformou o "centro político" em um conceito tão largo e gelatinoso que não significa nada”, criticou.

Numa entrevista publicada nesta segunda (9), Moro admite que se encontrou com Luciano Huck e afirma que pessoas "de centro" têm conversado. Ele cita como possíveis "bons candidatos" do que considera "centro", além de Huck e Doria, também o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e o general Hamilton Mourão, vice de Bolsonaro.

Motim no Ceará

Ainda no domingo, Moro gravou um vídeo declarando apoio ao líder extremista Capitão Wagner (Pros), candidato à prefeitura de Fortaleza, apontado como responsável por organizar um motim de policiais na capital cearense em fevereiro deste ano.

Em resposta, o governador Flávio Dino (PCdoB) comentou que Moro “começou muito mal a sua tentativa de se reinventar como referência do centro, após servir a Bolsonaro e dele se servir. Cobram tanto da esquerda, mas com um centro assim fica difícil demais”.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com