Lideranças do PCdoB defendem federação para fortalecer democracia

Brasília, segunda-feira, 9 de agosto de 2021 - 15:39

POLÍTICA

Lideranças do PCdoB defendem federação para fortalecer democracia


Por: Priscila Lobregatte, Portal PCdoB

Tema deve entrar na pauta de discussões do Parlamento nas próximas semanas.

Montagem a partir de fotos da Agência Câmara
Luciana Santos, Orlando Silva e Jandira Feghali falam sobre federação

A federação partidária foi tema do podcast Hora Vermelha, realizado pelo PCdoB do Rio de Janeiro e veiculado na sexta-feira (6), com a participação da presidenta nacional do PCdoB e vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, e dos deputados federais Orlando Silva (SP) e Jandira Feghali (RJ).

Na avaliação de Luciana Santos, é preciso “lançar mão de uma ferramenta que una os partidos, construa uma unidade de ação política, em função de um exercício programático, de ideias”. A dirigente acrescentou que “todos os momentos de inflexão na vida brasileira sempre foram fruto desse exercício de unidade e acho que a federação tem, portanto, não só um papel imediato, eleitoral, mas um caráter estratégico”.

Ela apontou que a federação “é um exercício de democracia num ambiente com tantos impasses. Vivemos uma crise múltipla — sanitária, social, econômica — num governo de caráter fascista e mais do que nunca precisamos garantir a pluralidade”.

Luciana também defendeu a necessidade de, através da federação, assegurar “a renovação, dar voz e vez para aqueles que não têm voz num sistema que tende, cada vez mais, a permanecer nesse modelo atual de cláusula de barreira e chapa própria”. Ela concluiu dizendo que“estamos animados porque a federação não prejudica nenhuma construção política e ainda pode servir como alternativa para que lideranças se viabilizem diante de uma legislação tão autoritária”.

Mais participação para o povo

O deputado Orlando Silva, vice-líder do PCdoB na Câmara, salientou que o partido é favorável a mudanças, desde que “sirvam para melhorar a democracia, para aumentar a participação do povo na política e não para beneficiar os de sempre e reduzir as opções dos eleitores”.

Neste sentido, defendeu a federação como uma “mudança positiva”, uma vez que permite aos partidos se unirem para disputar uma eleição, mas “mantendo essa união, votando junto, durante pelo menos a legislatura, ou seja, quatro anos”. Orlando explicou que, desta forma, os partido poderiam “preservar sua identidade, sua autonomia, seu nome, programa e ideias, porque, afinal, um partido existe para isso”.

O deputado acrescentou que “a criação da federação fortaleceria a democracia porque só seria possível formá-la entre partidos que tivessem mais semelhanças do que diferenças”. Além disso, “esses blocos também tornariam o sistema político brasileiro um pouco mais organizado, com menos partidos agrupando mais ideias” e facilitaria a governabilidade. Ele lembrou que essa experiência já existe em países como Uruguai, Espanha, Portugal, Chile e Alemanha. “O mundo está construindo caminhos como este que queremos aqui, que é o da federação”.

A deputada Jandira Feghali, vice-líder da Minoria na Câmara, argumentou que com a federação, os partidos não precisam se extinguir. “Eles concorrem de forma unitária nas eleições e permanecem unidos no funcionamento parlamentar. Essa é uma forma moderna para a legislação brasileira, é uma maneira de enfrentar as restrições de forma democrática, respeitando a pluralidade partidária e de ideias e ao mesmo tempo, reduzindo o número de legendas nos processos políticos”.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com