Deputados condenam aumento do número de pessoas vivendo em condições de miséria

Brasília, segunda-feira, 11 de novembro de 2019 - 16:59

POLÍTICA

Deputados condenam aumento do número de pessoas vivendo em condições de miséria


Por: Da Redação

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) apontam contingente recorde de pessoas que caíram para a extrema pobreza no Brasil.

Reprodução da Internet

A miséria é o retrato do Brasil atual. Hoje, 13,5 milhões de pessoas sobrevivem com até R$ 145 por mês. O número vem crescendo desde 2015, invertendo a curva descendente da miséria dos anos anteriores. Os dados divulgados na última semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) apontam o contingente recorde de pessoas que caíram para a extrema pobreza no Brasil. A alta do desemprego, os programas sociais mais enxutos e a falta de reajuste de subvenções como o Bolsa Família aumentam abismo para os mais pobres.

De acordo com os dados, a miséria atinge, sobretudo, a população preta e parda, sem instrução ou formação fundamental incompleta dos estados das regiões Norte e Nordeste.

“É degradante, vergonhoso! Se revoltar contra isso é amar o Brasil. Do contrário, é só hipocrisia”, afirmou o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP).

O deputado Renildo Calheiros (PCdoB-PE) também condenou o aumento do número de pessoas vivendo em condições de miséria. Para ele, o governo não tem atuado para melhorar a situação dos brasileiros. “Enquanto o governo Bolsonaro comemora 300 dias de atuação com fogos, o Brasil atinge nível recorde de pessoas vivendo em condições de miséria. Temos mais miseráveis do que a soma de todos os habitantes da Bélgica”, criticou.

O estudo do IBGE sugere um investimento extra de R$ 1 bilhão mensais para atender aos brasileiros em condição de extrema pobreza. A projeção, porém, esbarra num momento em que o governo de Jair Bolsonaro está focado no aprofundamento do ajuste fiscal, como mostrou o pacote apresentado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e na ideia da redução do papel do Estado, que foi abraçada pelo país desde o governo de Michel Temer. Essa mudança se reflete, por exemplo, no número de usuários do Bolsa Família. Hoje, 13,7% dos lares brasileiros recebem o benefício, contra 14,9% em 2014.

Para o líder do PCdoB na Câmara, deputado Daniel Almeida (BA), “seguimos sem esperança de dias melhores” com o atual governo. No entanto, reforçou que deputados progressistas têm lutado para “criar mais oportunidades, gerando desenvolvimento socioeconômico e cidadania para todos os brasileiros”.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com