Deputada critica veto de Bolsonaro a nome de João Goulart em trecho de rodovia

Brasília, quinta-feira, 14 de outubro de 2021 - 15:5

POLÍTICA

Deputada critica veto de Bolsonaro a nome de João Goulart em trecho de rodovia


Por: Christiane Peres

Alice Portugal afirma que Bolsonaro reforça posicionamento de garoto propaganda do fascismo ao vetar homenagem a Jango.

Reprodução
Veto de Bolsonaro à homenagem a Jango pode ser derrubada por parlamentares

A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) criticou nesta quinta-feira (14) o veto de Jair Bolsonaro à nomeação do trecho da BR-153 entre Cachoeira do Sul (RS) e Marabá (PA) como Presidente João Goulart. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta e na avaliação da parlamentar reforça posicionamento de Bolsonaro como garoto propaganda do fascismo.

“João Goulart foi um presidente cassado, perseguido, imolado pela ditadura e que, sem dúvida, honra a história do nosso povo. Minha homenagem a esse líder e minha indignação para esse presidente que nada representa a democracia brasileira. Lutaremos pela derrubada desse veto”, destacou a parlamentar, que ao fazer a crítica prestou homenagem a João Vicente Goulart, filho de Jango e membro da direção nacional do PCdoB.

João Goulart assumiu a Presidência da República, em 1961, após a renúncia de Jânio Quadros. Em 1964 foi deposto pelos militares após o golpe – defendido e celebrado por Bolsonaro.

Como justificativa, Bolsonaro afirmou que a homenagem contraria o interesse público, uma vez que trecho passaria por oito estados e “não consideraria a especificidade de cada estado”. “Poderia representar descompasso com os anseios e as expectativas da população de cada unidade federativa abrangida pela Rodovia”, diz a justificativa. No despacho, Bolsonaro afirmou ainda que “busca-se que personalidades da história do país possam ser homenageadas em âmbito nacional desde que a homenagem não seja inspirada por práticas dissonantes das ambições de um Estado Democrático”. A decisão do presidente seguiu recomendação da Casa Civil e do Ministério da Infraestrutura.

Presidente da Comissão de Cultura da Câmara, Alice repudiou os argumentos do presidente. “Bolsonaro, além de não governar, continua a ser um garoto propaganda dos métodos fascistas em nosso país. No início de seu governo, decidiu comemorar com as devidas honras o golpe militar de 64, tentando denominá-lo como o dia da liberdade. Infelizmente, ele veta uma proposta parlamentar que também foi votada na Comissão de Cultura. Passou na Comissão de Cultura ainda em 2013. E ele veta a matéria e diz que essa matéria envolve práticas dissonantes das ambições de um Estado democrático de direito. O parecer veio da Casa Civil. O parecer veio do Ministério da Integração Nacional. E, na verdade, o intuito é apagar o nome de João Goulart da história deste país. Não vamos permitir”, declarou.

A homenagem foi proposta em 2011 pelo então senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP).
 









Últimas notícias

Notícias relacionadas

5/10 - 17:54 | POLÍTICA
Projeto pode sustar abuso em controle de pragas em cítricos

26/11 - 17:44 | SEMANA DE 29 DE NOVEMBRO A 3 DE DEZEMBRO
Plenário segue votando Medidas Provisórias

5/11 - 16:6 | SEMANA DE 8 A 12 DE NOVEMBRO
Votações se reiniciam com Medidas Provisórias

18/6 - 16:28 | SEMANA DE 21 A 25 DE JUNHO
Câmara começa semana com pauta ainda indefinida

4/6 - 12:27 | SEMANA DE 7 A 11 DE JUNHO
Pauta continua bloqueada por Medidas Provisórias

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com