PCdoB defende proteção à renda das famílias e à economia

Brasília, terça-feira, 24 de março de 2020 - 20:1      |      Atualizado em: 25 de março de 2020 - 11:50

POLÍTICA

PCdoB defende proteção à renda das famílias e à economia


Por: Walter Félix

Surto do novo coronavírus revela incapacidade de Bolsonaro para liderar o país na luta contra a pandemia, defender a economia nacional e preservar empregos. Bancada do PCdoB apresenta propostas para enfrentar a crise.

Reprodução da internet

O surto do novo coronavírus, que tem causado pânico mundial, também possibilitou à sociedade brasileira uma trágica constatação. A total incapacidade do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), de liderar o país na luta contra a Covid-19 e em defesa da economia nacional, a preservação dos empregos e proteção do sistema produtivo.

Ao mesmo tempo em que os líderes mundiais cancelam eventos em que muitas pessoas se reúnem, empresas em todo o mundo estão liberando seus colaboradores para trabalhar de casa, escolas e universidade estão suspendendo as aulas, o presidente adota uma postura que vai na contramão desse esforço coletivo. Os brasileiros sofrem com a falta de medidas efetivas do governo de Jair Bolsonaro para enfrentar a grave situação.

Segundo a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), o momento exige medidas emergenciais de proteção ao emprego, aos empreendedores e empresários.

"O Brasil tem reservas enormes que garantem que o governo ponha dinheiro na mão de cada trabalhador, desempregado ou em situação de vulnerabilidade nesses meses de crise", observa a parlamentar e suas redes sociais. "Essa deve ser a maior preocupação do poder público: a sobrevivência dos brasileiros mais pobres", escreveu o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) no Twitter.

Em meio à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, a Bancada do PCdoB aponta uma série de medidas emergenciais, indispensáveis para defender a economia nacional e levar apoio e proteção para que a população mais vulnerável possa atravessar esse difícil momento. 

Para a líder do partido na Câmara, deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), o comportamento do governo "é de quem não tem noção do tamanho e da gravidade do problema em que o nosso Brasil está entrando”.

Veja algumas destas propostas:

Garantia de renda emergencial - Com o objetivo de assegurar o sustento das famílias e da atividade econômica, durante e após a pandemia do coronavírus, a Bancada do partido na Câmara defende o pagamento de um salário mínimo mensal para todas as famílias urbanas e rurais, inscritas no Cadastro Único, que perderam sua renda.

O cadastro contém a relação das pessoas inscritas no Bolsa Família, beneficiários do BPC e as famílias que possuem renda per capita de até meio salário mínimo.

Seguro-desemprego emergencial - Concessão imediata do seguro-desemprego a todos os trabalhadores demitidos sem justa causa desde o início de março de 2020, independentemente de carências, com prestações de benefícios enquanto durar a emergência sanitária.

Manutenção de empregos e salários - Assegurar uma contrapartida das empresas beneficiadas com medidas de socorro à economia durante pandemia do coronavírus. Todas elas deverão garantir estabilidade provisória aos contratos de trabalho durante o período da crise e os quatro meses que se seguirem.

Ajuda emergencial - Enquanto durar a emergência de saúde provocada pela pandemia do coronavírus, o governo deve usar dinheiro em caixa para garantir aluguel social e suspender a cobrança das contas de água e luz das famílias de baixa renda que estão incluídas na tarifa social. Deve haver subsídio ao botijão de gás de cozinha. É preciso suspender também prestações relacionadas aos contratos do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) e do Minha Casa, Minha Vida.

Revogação do Teto de Gastos - A Bancada do PCdoB defende a revogação imediata da Emenda Constitucional 95, que instituiu o chamado teto de gastos, para combater o prejuízos causados pela pandemia de coronavírus. O governo deve pedir ao Congresso Nacional a retirada de amarras constitucionais para poder usar R$ 1,3 trilhão do caixa da União, visando a liberação de recursos destinados à proteção da renda do trabalhador, à preservação da saúde dos brasileiros, a novos investimentos na infraestrutura do SUS (Sistema Único de Saúde) e para estimular a economia. Os recursos estão guardados como garantia ao setor financeiro.

Evitar falências e desemprego - O partido propõe a adoção de medidas emergenciais, destinadas a impedir que haja falência em massa de empresas e o corte de empregos durante e após a pandemia do coronavírus.

Estas medidas devem levar em consideração a oferta de crédito bancário sem juros, com carência e prazos dilatados para o seu pagamento. Nos casos de autônomos, microempresários e agricultores familiares, a garantia deverá ser estatal. Os prazos para o pagamento de impostos também devem ser alongados. O governo deve assumir o salário dos empregados até o teto do RGPS (Regime Geral de Previdência Social), viabilizado com crédito entregue diretamente ás empresas.

Mais investimentos em saúde - A proposta do PCdoB é investir mais em saúde durante pandemia de coronavírus. O governo deve ampliar os gastos destinados ao setor, além de garantir os atuais níveis de repasses do FPE (Fundo de Participação dos Estados) e do FPM (Fundo de Participação dos Municípios). A União deve ainda acrescer parcelas extras para que Estados e municípios possam responder ao aumento das despesas com a crise sanitária.

SOS para todos os contratados - As medidas de proteção às ocupações e à renda devem abranger os contratos temporários, de tempo parcial e intermitentes, os autônomos e os contratos de trabalho PJotizados durante a pandemia do coronavírus. A todos, quando de renda variável, devem ficar asseguradas as remunerações médias do último bimestre.

Previdência e assistência social - Assegurar a concessão imediata dos benefícios a todos os segurados que cumprem as exigências legais durante a pandemia do coronavírus. Nenhum corte: suspensão de todos os procedimentos administrativos que visem retirar beneficiários dos diversos programas.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com