Perpétua comenta falácia governista sobre decreto de calamidade

Brasília, segunda-feira, 19 de outubro de 2020 - 9:41      |      Atualizado em: 21 de outubro de 2020 - 15:52

POLÍTICA

Perpétua comenta falácia governista sobre decreto de calamidade


Por: Portal Vermelho

Deputada federal Perpétua Almeida (AC), líder da bancada do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), lembrou em vídeo nas redes sociais que que o governo Bolsonaro sempre negou a Covid-19 e suas emergências.

Juan Ruiz

Segundo ela, sua especialidade é a propagação de mentiras sobre a doença e seu tratamento. Citou alguns exemplos:

– Não cumpriu medidas de ajuda às empresas para salvar postos de trabalho – o desemprego aflige 14 milhões de brasileiros.

– Dificultou ao máximo a aprovação e distribuição do auxílio emergencial, facilitando quem não precisa receber e deixando de pagar outros tantos que necessitam do auxílio.

– Criou dificuldades para as pesquisas relacionadas à vacina e até faz coro contra a vacinação.

– Bolsonaro nunca se solidarizou com as famílias que já enterraram mais de 150 mil pessoas.

Perpétua Almeida também comenta a proposta de lei orçamentária de Bolsonaro, que ignora as crises econômica, social e de saúde pública, e ainda corta recursos do Sistema Único de Saúde (SUS). “O Brasil precisa de soluções definitivas para combater a fome e a miséria. O governo terá que apresentar imediatamente um programa nacional que retome os empregos e recupere a renda das famílias”, diz ela.
 
Manter as regras do teto de gasto que inviabilizaram o país antes da pandemia, prossegue, “são medidas irresponsáveis e insustentáveis frente a miséria que se apresenta num futuro próximo”. “É preciso rever a Emenda Constitucional 95 e exigir a tributação das grandes fortunas para que os ricos desse país paguem impostos, já que ficaram mais milionários durante a pandemia”, conclui.

Rodrigo Maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou, segundo a Agência Brasil, que o Parlamento brasileiro não irá aprovar uma eventual proposta de prorrogação do estado de calamidade pública a fim de permitir que o governo federal gaste além do chamado “teto de gastos”, regra fiscal que limita os gastos públicos e que está em vigor desde 2017.
 
“Hoje, conversando com investidores, deixei bem claro que a Câmara não irá, em nenhuma hipótese, prorrogar o estado de calamidade para o ano que vem”, escreveu Maia em sua conta pessoal no Twiter, referindo-se à sua participação, poucas horas antes, em um evento digital realizado por uma empresa de assessoria de investimentos.

Decretado pelo governo federal em função da pandemia da covid-19 e aprovado pela Câmara e pelo Senado em março deste ano, o reconhecimento do estado de calamidade pública no país está previsto para vigorar até 31 de dezembro. Um dos principais aspectos do decreto é autorizar o governo federal a gastar além da meta fiscal prevista para este ano.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com