STF rejeita prisão em 2ª instância. Deputados do PCdoB comemoram

Brasília, sexta-feira, 8 de novembro de 2019 - 13:18

JUSTIÇA

STF rejeita prisão em 2ª instância. Deputados do PCdoB comemoram


Por: Da redação, com informações do Portal Vermelho

Supremo considerou procedente as Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADC) da OAB, do PCdoB e do Patriota, estabelecendo que “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”.

Fellipe Sampaio/SCO/STF

Por 6 votos a 5, o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou na quinta-feira (7) procedente as Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADC) da OAB, do PCdoB e do Patriota, nas quais os partidos pedem a constitucionalidade do artigo 283 do Código do Processo Penal (CPP) estabelecendo que “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”. Trata-se da consagração do princípio da presunção de inocência.

Com o empate de 5 a 5, o presidente da Corte, Dias Tofolli, deu o voto de minerva a favor da tese dos partidos, por entender que o artigo do CPP e a Lei 12.403, de 4 de maio de 2011, que deu nova redação ao dispositivo, estão plenamente respaldados no artigo 5º, inciso LVII da Carta Magna: “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”.

Dias Toffoli disse que estava diante de uma questão simples. Segundo ele, o objeto das ações é sobre a compatibilidade do artigo com a Constituição, cuja redação foi dada pela Lei 12.403.

“É saber se esse dispositivo é compatível com a Constituição, simples assim”, afirmou, referindo-se à análise abstrata. E leu por duas vezes os dispositivos em questão.

“Eu não entendo que a norma necessite de alguma interpretação conforme. A leitura dela cabe no texto da Constituição", argumentou.

No entanto, Toffoli considerou a possibilidade de prisão imediata após a pena aplicada pelo Tribunal do Júri. Ele disse que vai marcar recursos para discutir o assunto ainda este ano.

O resultado do julgamento pode colocar em liberdade 4,8 mil presos, entre eles, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado em segundo instância, sem provas, no processo do tríplex do Guarujá (SP).

Na sessão anterior, o relator Marco Aurélio Mello votou no sentido de que o artigo 283 do CCP é compatível com o princípio constitucional da presunção de inocência (artigo 5º, inciso LVII) e foi seguido pela ministra Rosa Weber, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Dias Toffoli.

Os ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux e Cármen Lúcia votaram contra o parecer do relator, considerando que a execução da pena antes do trânsito em julgado da sentença é constitucional.

Bancada comenta decisão

O líder do PCdoB na Câmara, deputado Daniel Almeida (BA), considerou o resultado do julgamento no STF um “passo fundamental para o Estado Democrático de Direito”. Em suas redes sociais, o parlamentar comentou a intensão da defesa de Lula de entrar com pedido de liberdade do presidente nesta sexta (8). “Que a justiça seja feita!”, escreveu no Twitter.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), líder da Minoria na Casa, comemorou: “O STF fez justiça. O Brasil cura uma de suas feridas! Vamos em frente!”.

Para o deputado Márcio Jerry (PCdoB-MA), a decisão do STF representou uma “Vitória da Constituição, vitória da Democracia”. O parlamentar também saudou o partido, pela iniciativa de apresentar uma das ações julgadas procedentes pelo tribunal.

“Orgulho do nosso @PCdoB_Oficial. Luta em todas as frentes em defesa da Constituição, da Democracia, de justiça para todos! Valeu!”, postou em suas redes.

O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) foi na mesma linha: “Orgulho do meu Partido, o @PCdoB_Oficial, que levou ao Supremo esse debate, que agora devolve o preceito constitucional da presunção de inocência como uma garantia de todos”.

“A CONSTITUIÇÃO está Valendo! Abaixo os justiceiros!”, escreveu no Twitter a vice-líder do partido, deputada Perpétua Almeida (AC).

A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) usou suas redes para uma saudação ao ex-presidente Lula. “Estamos ansiosos para te receber, @LulaOficial. Os braços do povo brasileiro é o seu lugar. Vamos juntos fazer o Brasil sorrir de novo, com democracia, soberania e direitos”, disse.

‏Segundo o deputado Renildo Calheiros (PCdoB-PE), a decisão do Supremo Tribunal Federal reafirmou o “respeito à Constituição”. “Vence a democracia!”, afirmou.

A presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos, divulgou nota após o julgamento do STF, na qual destaca que a decisão da Corte em favor da presunção de inocência e contra a prisão em 2ª instância foi uma vitória do Estado Democrático de Direito.  









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com