Bancada celebra derrubada do veto de Bolsonaro à federação

Brasília, terça-feira, 28 de setembro de 2021 - 11:54

POLÍTICA

Bancada celebra derrubada do veto de Bolsonaro à federação


Por: Walter Félix

Deputados do PCdoB comemoram derrubada do veto à união de partidos. "Grande vitória da democracia brasileira", afirmou o líder Renildo Calheiros.

Waldemir Barreto/ Agência Senado
Bancada do PCdoB celebra resultado da votação no Senado

O Congresso Nacional, por ampla maioria, decidiu nesta segunda-feira (27) derrubar o veto do presidente Jair Bolsonaro ao projeto de lei que cria a federação partidária.

Com validade prevista já para as eleições de 2022, as federações se submetem às mesmas regras impostas aos partidos, com programa, estatuto e direção comuns. Ao contrário das extintas coligações, as federações continuam funcionando após as eleições como um só bloco.

A derrubada do veto foi comemorada pela Bancada do PCdoB, uma vez que a legenda esteve entre os principais partidos que defenderam a recuperação do projeto de lei 477/2015.

“A federação estimula a ação política e a governabilidade criando frentes políticas mais sólidas. Não tem nada a ver com esquerda ou direita, tem a ver com o enxugamento do sistema partidário de forma democrática”, afirmou o líder do PCdoB na Câmara, deputado Renildo Calheiros (PE).

O parlamentar considerou o resultado uma “grande vitória da democracia brasileira”. “Em todo mundo surgem novas formas de agremiações partidárias, e no Brasil não podia ser diferente. Para governar é preciso aglutinar os partidos. A Federação é a modernização dos partidos no Brasil, que mantêm sua identidade e fortalecem a democracia”, disse no Twitter.

A deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), que é vice-líder da Oposição, também usou as redes sociais para celebrar: “Quando se faz política com o coração e dedicação, o sentimento fica estampado na foto que registrou o momento da vitória da FEDERAÇÃO partidária no Senado. VIVA a DEMOCRACIA!”.

Segundo a deputada Alice Portugal (BA), a derrubada do veto foi um “importante passo para garantir que partidos como o PCdoB, que vai completar 100 anos, continuem vivos institucionalmente”.

“A afirmação da pluralidade partidária, com a aprovação das federações, é a maior resposta institucional, efetiva de unidade, contra Bolsonaro.#juntos poderemos enfrentar os desafios deste tempo e repavimentar os caminhos para restaurar a democracia”, reforçou Alice.

Para o deputado Rubens Jr (PCdoB-MA), foi “uma vitória do Brasil, dos partidos e do povo”. Nas redes sociais, o parlamentar destacou que o modelo de federações é muito melhor do que as coligações eleitorais extintas pela reforma política.

“A federação é nacional, dura uma legislatura, aproxima partidos que pensam parecidos e ajuda a reduzir o número de partidos; coligação é estadual, só existe durante a campanha e facilita alianças fisiológicas”, observou.

A deputada Professora Marcivânia PCdoB-AP) disse que a decisão das duas casas legislativas significou uma “grande notícia para a democracia, para o PCdoB e para o Brasil”. “O PCdoB segue firme na luta, defendendo os mais pobres, a educação e um Brasil para os brasileiros. Que venha os 100 anos e com grande estilo!”, escreveu no Twitter.

“VITÓRIA INCRÍVEL! Com 353 votos, a Câmara segue o Senado e rejeita o veto de Bolsonaro às Federações Partidárias. É uma conquista democrática fundamental, que é do @PCdoB_Oficial, mas não apenas. É também uma derrota de Bolsonaro, que quis impedir a decisão do Legislativo”, reforçou o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP).

Jandira Feghali (PCdoB-RJ), vice-líder da Minoria, sublinhou que a possibilidade dessa nova forma de união partidária é um caminho para reforçar a luta contra o fascismo no Brasil. “O modelo fortalece alianças programáticas e preserva a identidade dos partidos. Vitória da democracia e da construção de uma frente ampla para derrotar o fascismo!”.

Em suas redes sociais, o deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA) registrou que as federações são uma “grande e importante novidade na legislação brasileira que ordena o funcionamento dos partidos políticos”. “Elas permitem que os partidos possam se organizar e defender a pluralidade da vida política nacional, manterem a sua identidade programática, e se associarem. Isso fortalece os partidos e a nossa democracia”, frisou.

O PLS 477/2015 havia sido vetado totalmente pelo presidente Jair Bolsonaro com o argumento de que a federação partidária contraria o interesse público por ter características análogas à das coligações partidárias, que foram proibidas pela Emenda Constitucional 97, de 2017.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com