Deputadas querem anular nomeação do secretário da Cultura de Bolsonaro

Brasília, segunda-feira, 9 de dezembro de 2019 - 17:56

CULTURA

Deputadas querem anular nomeação do secretário da Cultura de Bolsonaro


Por: Da Redação

Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e Benedita da Silva (PT-RJ) pedem que Procuradoria-Geral da República barre nomeação de Roberto Alvim para o cargo.

Nelson Almeida/Agência O Globo
Alvim é alvo de investigação do MPF

As deputadas Jandira Feghali (PCdoB-RJ), líder da Minoria na Câmara dos Deputados, e Benedita da Silva (PT-RJ), que ocupa a presidência da Comissão de Cultura da Casa, entraram com uma representação na Procuradoria-Geral da República, pedindo a anulação da nomeação de Roberto Alvim para o cargo de secretário especial da Cultura do governo federal.

Nomeado por Bolsonaro em novembro, Alvim é alvo de investigação do Ministério Público Federal porque, quando diretor de Artes Cênicas da Funarte, tentou contratar sem licitação a esposa, a atriz Juliana Galdino, para a direção do Teatro Plínio Marcos, em Brasília.

A atriz passaria a controlar um orçamento de R$ 3,5 milhões em verbas federais. Mais recentemente, coube também ao secretário especial da Cultura a nomeação dos novos presidentes da Fundação Palmares – afastado por decisão da Justiça e da Funarte.

Roberto Alvim também pregou a valorização da cultura cristã no programa de revitalização dos teatros brasileiros e atacou com ofensas a atriz Fernanda Montenegro. Em postagem no Facebook, chamou a atriz de “mentirosa”, o que provocou a reação da classe artística.

As deputadas argumentam na representação que os posicionamentos de Alvim podem ser vistos como uma “notória e inquestionável afronta não apenas à livre expressão da atividade intelectual e artística tal como assegura o artigo 5, IX, da Constituição, mas igualmente à devida valoração e proteção a ser conferida às obras e bens de cunho artístico e cultural”.

O texto enumera à PGR que Alvim prometeu, em entrevista ao jornal “O Globo”, “lutar pela preservação dos princípios, valores e conquistas da civilização judaico-cristã, contra o satânico progressismo cultural”; disse à revista “Veja” que o teatro Glauce Rocha, no Rio de Janeiro, seria transformado “no primeiro teatro do país dedicado ao público cristão”; em conferência da Unesco, em Paris, disse ainda que a arte brasileira teria se transformado “em um meio para escravizar a mentalidade do povo em nome de um violento projeto de poder esquerdista”.

Segundo a representação, tudo isso mostra que o atual secretário de Cultura do governo federal “não cumpre os critérios necessários para ocupação do cargo ao qual fora designado”.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com