Câmara cria comissão especial para analisar fontes de recursos para piso da Enfermagem

Brasília, quarta-feira, 23 de novembro de 2022 - 21:22      |      Atualizado em: 29 de novembro de 2022 - 20:17

SAÚDE

Câmara cria comissão especial para analisar fontes de recursos para piso da Enfermagem


Por: Christiane Peres

Pagamento do piso da categoria foi suspenso pelo Supremo Tribunal Federal até que fontes de financiamento fossem determinadas.

Richard Silva/PCdoB na Câmara

O piso da Enfermagem está mais próximo de se tornar realidade. Nesta quarta-feira (23), a Câmara criou uma comissão especial que analisará as fontes de financiamento para viabilizar o pagamento do piso da categoria que está suspenso por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). O colegiado analisará a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 390/14, que autoriza a ampliação de limite de despesas com pessoal ativo nas áreas da saúde e da educação. Será apensado ao texto a PEC 27/22, do deputado Mauro Benevides Filho (PDT-CE), que autoriza a utilização do superávit de fundos públicos federais no financiamento dos novos salários mínimos da categoria.

Articuladora da aprovação do piso da Enfermagem, a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) celebrou a criação do colegiado. Segundo ela, a partir da indicação dos membros, em 10 sessões a comissão deve aprovar a proposta e então levar o texto para análise do Plenário.

“Estamos num esforço hercúleo para encontrar recursos. A PEC se viabilizou. Vamos aprová-la na comissão e não haverá mais argumentos no sentido de que não há fontes. E então nós poderemos chegar no Supremo com o projeto indicando de onde tirar dinheiro para pagar o piso. A necessidade é gigante, nós sabemos. Por isso, estamos mergulhadas, com foco, nessa questão”, disse Alice.

Segundo ela, a PEC proposta por Benevides Filho, garante, nesse momento, a possibilidade de resolver a execução do piso salarial da Enfermagem. “Fizemos esse esforço para dar fontes de financiamento para pagar o piso da enfermagem brasileira sem furar teto”, disse.

A comissão especial terá 34 titulares e 34 suplentes. A deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC), relatora do piso salarial, afirmou que o grupo trabalhará com celeridade para garantir o direito à categoria.

“A Enfermagem não pode mais esperar. Por isso, vamos instalar o mais rapidamente possível essa comissão especial e vamos garantir o relatório também no prazo das 10 sessões. Com essa iniciativa parlamentar, vamos garantindo parte das fontes de financiamento atendendo a estados, municípios, e União e também atendendo os hospitais filantrópicos”, disse.

O deputado Mauro Benevides Filho afirmou que a proposta de sua autoria define a fonte de recursos do pagamento do piso salarial da enfermagem em todo o país sem comprometer as receitas tributárias dos entes federativos.

“Estamos de tratando exclusivamente do superávit financeiro dos fundos federais – entre R$ 10 bilhões e 11 bilhões – para o pagamento do piso”, explicou. Ele afirmou ainda que incluir o texto na PEC 390/14, de tramitação mais avançada, agiliza o processo sem a necessidade de votação pela CCJ.

Para a presidente da Federação Nacional dos Enfermeiros, Solange Caetano, é preciso manter a mobilização para garantir o avanço da matéria na Câmara e no Senado. “Vamos manter a mobilização para conseguirmos tornar realidade o piso da Enfermagem, melhorar as condições de trabalho e de vida dos nossos profissionais.”
 









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com