Oposição tenta adiar análise da PEC da Previdência

Brasília, terça-feira, 11 de junho de 2019 - 18:53

ARTICULAÇÃO

Oposição tenta adiar análise da PEC da Previdência


Por: Christiane Peres

Em reunião com presidente da comissão especial que analisa a Reforma da Previdência parlamentares afirmam que adiamento seria importante dado o momento político. Marcelo Ramos diz que só muda data se pedido tiver maioria ou for feito pelo relator.

Richard Silva/PCdoB na Câmara

O deputado Marcelo Ramos (PL-AM) se reuniu com deputados da Oposição nesta terça-feira (11) para tratar das ações a serem tomadas na comissão especial da Reforma da Previdência. No encontro, os parlamentares da Oposição pleitearam o adiamento da leitura do relatório de Samuel Moreira (PSDB-SP).

“Não estamos numa normalidade democrática. Ocorreram fatos gravíssimos. Toda nossa atenção está voltada para a investigação desse fato. Para criar os instrumentos de investigação, como a CPMI, a convocação do ministro. O Parlamento precisa reagir como instituição. Não é uma questão da esquerda, da Oposição, é uma questão do Parlamento, da democracia. O apelo que fizemos é pelo adiamento, pois não há clima para isso”, afirmou a líder da Minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), em referência aos vazamentos das conversas entre o então juiz Sergio Moro e o procurador da Operação Lava Jato Deltan Dallagnol.

Apesar da sensibilidade aos apelos, Ramos manteve a reunião para a próxima quinta-feira (13) para leitura do relatório. No entanto, abriu duas possibilidades de mudança no curso dos trabalhos: a ampliação do coro pelo adiamento da leitura do texto ou a não apresentação do relatório por Samuel Moreira (PSDB-SP).

“Se eu receber o texto, não vou segurar. Mas se houver acordo de uma maioria, não vou me opor”, disse Ramos.
A expectativa do presidente da comissão é que o relatório seja votado no colegiado até o final de junho. No entanto, com a proximidade do feriado de Corpus Christi, o possível esvaziamento da Casa no São João e falta de votos do governo, é possível que o cronograma de Marcelo Ramos não seja seguido.

O líder do PCdoB na Câmara, deputado Daniel Almeida (BA), não vê clima político para o cumprimento do cronograma de Ramos.

“Não há razão para pautar a matéria agora. A cada semana verificamos um adiamento por um motivo diferente. O governo não tem votos. Além disso, aqueles itens que eram tidos como essenciais para o governo não têm acordo e não devem entrar. Não creio que a votação aconteça tão cedo”, afirmou.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com