Luta pelo piso salarial marca homenagem da Câmara à Enfermagem

Brasília, quarta-feira, 4 de maio de 2022 - 16:23      |      Atualizado em: 9 de maio de 2022 - 10:53

SAÚDE

Luta pelo piso salarial marca homenagem da Câmara à Enfermagem


Por: Walter Félix

Profissionais de várias regiões do país lotam plenário na sessão solene alusiva à Semana Brasileira da Enfermagem, que acontece de 12 a 20 de maio.

Paulo Sérgio/Câmara dos Deputados

A aprovação do projeto de lei que estabelece o piso nacional de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e parteiras deu o tom da sessão solene realizada na manhã desta quarta-feira (4) em homenagem à Semana Brasileira da Enfermagem.

Convocada por requerimento de vários deputados, o evento reuniu parlamentares e representantes da categoria, que se deslocaram de todos os rincões do país para acompanhar a votação do PL 2564/20, que está prevista para ocorrer também nesta quarta.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que falou pela liderança da Bancada, elogiou a mobilização da categoria e manifestou otimismo com a vitória na votação da matéria.

“Quando as categorias se mobilizam com esta força, com dedicação e convicção de conteúdo, nós aqui conseguimos aprovar as leis. Os profissionais da enfermagem têm levantado não apenas a mobilização pelo seu piso, eles têm levantado uma luta pelo direito dos usuários do sistema de saúde, têm levantado a valorização do Sistema Único de Saúde”, disse.

Segundo a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), que tem participado das articulações para garantir a votação do projeto, a aprovação do texto vai coroar “um sacrifício de décadas de uma profissão sub-remunerada, mas que é essencial na equipe interdisciplinar de saúde”.

“A enfermagem está na cabeceira dos leitos, perdeu quase mil trabalhadores para a Covid-19, colocando seus corpos à disposição para salvar vidas. O que o Congresso Nacional fará não é uma dádiva, não é um aplauso. É um reconhecimento, é fazer justiça a uma profissão que está na linha de frente no processo de garantia da saúde da população”, afirmou.

A expectativa é que o texto seja aprovado suprapartidariamente, apesar da pressão que vem sendo feita por representantes das redes privada e filantrópica.

O deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA) também discursou no evento. Ele ressaltou que aprovar a criação do piso salarial para os profissionais do setor de enfermagem vai atender “um desejo da sociedade brasileira”.

“Defender a enfermagem é defender o SUS, é defender vida e saúde. Estes são os profissionais que acolhem, que estão no dia a dia cuidando da vida das pessoas. Pode faltar qualquer coisa em um hospital, numa clínica, mas não pode faltar a enfermagem: o enfermeiro, o técnico, o auxiliar, a parteira. Portanto, vamos aprovar o projeto 2564, e se o presidente (Bolsonaro) vetar, nós vamos derrubar o veto”, defendeu.

Para a deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), além de representar um justo reconhecimento para a categoria, a aprovação do piso vai ser um momento de glória, “depois de muitas lágrimas que rolaram no caminho desta luta”.

“Hoje é o coroamento de muito esforço, de muito sacrifício, de muita doação, mas, acima de tudo, de muita luta em defesa da enfermagem do Brasil”, frisou.

Em suas redes sociais, o líder do PCdoB na Câmara, deputado Renildo Calheiros (PE), reiterou o compromisso da bancada comunista com a pauta.

“Hoje é dia de aprovarmos o piso salarial para a Enfermagem (PL 2564/20) no Plenário da Câmara dos Deputados. Estamos mobilizados em Brasília para vencer essa luta em defesa da valorização desses profissionais essenciais na saúde pública brasileira”, escreveu.

Piso da enfermagem

Conforme a proposta, o valor mínimo inicial para os enfermeiros será de R$ 4.750, a ser pago pelos serviços de saúde públicos e privados.

Nos demais casos, haverá proporcionalidade: 70% do piso dos enfermeiros para os técnicos de enfermagem; e 50% para os auxiliares de enfermagem e as parteiras.

A proposta, apresentada pelo senador Fabiano Contarato (PT-ES), já foi aprovado pelo Senado e, se for alterado pela Câmara, retornará para análise dos senadores.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), confirmou a votação do texto e anunciou a deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC) como relatora de plenário.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com