Outubro Rosa reforça defesa do SUS

Brasília, quarta-feira, 11 de outubro de 2017 - 14:0      |      Atualizado em: 17 de outubro de 2017 - 13:41

PALAVRA DA LÍDER

Outubro Rosa reforça defesa do SUS


Por: Alice Portugal

Pillar Pedreira/ Agência Senado

O Outubro Rosa, que ilumina os prédios públicos em Brasília, tornou-se ainda mais  estratégico em 2017 no momento em que a luta em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) está na ordem do dia diante das ameaças governamentais de extermínio.

É a primeira vez que a campanha de prevenção de câncer de mama acontece sob a égide de um golpe institucional que foi dado contra a presidenta Dilma Rousseff em 2016. Desde que tomou a cadeira presidencial de forma ilegítima, Michel Temer age para desmontar velozmente a estrutura de saúde pública arduamente construída nas últimas décadas no Brasil.

Um dos exemplos recentes é a portaria proposta pelo Ministério da Saúde que estabeleceu a nova Política Nacional de Atenção Básica (PNAB). As novas diretrizes da atenção básica preveem cortes de orçamento no setor, gerando a desestruturação dos serviços, além da redução dos salários dos agentes comunitários de saúde e de combate a endemias, profissionais essenciais na saúde preventiva e conscientização da população.

É fundamental que o Sistema Único de Saúde sobreviva a essas tentativas de desmonte para que as políticas de proteção à saúde feminina sejam efetivas. O corte no orçamento do programa de fortalecimento do SUS estimado é de 14% em 2018, caindo de R$ 18,7 bilhões aprovados este ano para R$ 16,1 bilhões no próximo ano.

A prevenção é determinante para garantir o diagnóstico precoce e a cura das mulheres vítimas de câncer de mama que é o mais comum entre as brasileiras. Conforme o Instituto Nacional do Câncer (INCA), surgem 60 mil novos casos por ano, dos quais 15 mil levam as pacientes a óbito.

Em vez de congelar por 20 anos recursos para educação e saúde, o governo tem de estimular as políticas públicas e programas educativos em escolas para que as meninas façam o autoexame, garantindo essa consciência de gênero. Não podemos aceitar que a visão conservadora de setores retrógrados da Câmara dos Deputados, que tenta cercear a liberdade das mulheres, prevaleça.

Mulheres, em outubro, vamos intensificar a nossa luta. Vamos proteger a nossa saúde. Uma sociedade que protege a saúde e garante a emancipação política e econômica da mulher é mais livre e democrática.

*Deputada federal pela Bahia e líder do PCdoB na Câmara.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com