Marcivânia une comissões do Trabalho e Educação na luta contra cortes

Brasília, sexta-feira, 10 de maio de 2019 - 9:26      |      Atualizado em: 15 de maio de 2019 - 18:1

EDUCAÇÃO

Marcivânia une comissões do Trabalho e Educação na luta contra cortes


Por: Portal Vermelho

Audiência pública conjunta ouvirá o ministro da Educação, Abraham Weintraub, na próxima semana sobre cortes nas universidades.

Richard Silva/PCdoB na Câmara

Primeira mulher a assumir o cargo de presidente da Comissão do Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados, a deputada Professora Marcivânia (PCdoB-AP) quer abrir o colegiado para participação de todos os segmentos da sociedade a fim de discutir e encaminhar soluções sobre os grandes temas no país, sobretudo o desemprego que já atinge mais de 13 milhões de trabalhadores.

Ao assumir o posto, em março passado, a deputada deixou claro que terá como foco a recuperação dos direitos perdidos na reforma trabalhista; diminuir os obstáculos das mulheres no mercado do trabalho; e evitar mais retrocessos na área.

"Houve promessas de que a reforma trabalhista traria mais empregos e teríamos uma economia forte. Não aconteceu. Nem uma coisa nem outra", criticou.

Agora, a atenção da parlamentar está nos cortes de 30% promovidos pelo governo Bolsonaro nas verbas para universidades e institutos federais.

Tanto que ela acatou um requerimento do líder do seu partido, Daniel Almeida (BA), para fazer na próxima quarta-feira (15) reunião conjunta com a Comissão de Educação para receber o ministro Abraham Weintraub, que comparecerá na condição de convocado.

“Como professora e cidadã não posso aceitar os cortes que foram feitos no Ministério da Educação que vão afetar a área em todo o país”, lamentou.

Trata-se de uma crise, segundo a deputada, gerada pelo próprio governo sob um argumento fabricado para confrontar os orçamentos do ensino superior com o básico.

“Não é nada disso. Recursos sempre foram garantidos para as universidades que trabalham pesquisa e extensão, formando inclusive professores, os institutos federais e à educação básica. O que acontece é que o governo não prioriza a área de educação”, argumentou.

Na sua opinião, os cortes na educação são muito graves pois se trata de uma área estratégica. “O problema é que esse governo não entende essa condição, inclusive para tirar o país dessa condição econômica. Então como professora e cidadã vamos lutar até o fim para que isso seja revertido e garantir os investimentos necessários para ter uma educação de qualidade e pública”, disse.

A deputada Professora Marcivânia acredita que será uma audiência de peso com a participação de estudantes e professores.

Ela diz que o movimento cresce em todo o país e os argumentos usados pelo governo até agora são fracos. “O ministro diz que não é corte, mas na verdade é corte, não é só contingenciamento”, afirmou.

A deputada também crítica a forma como está sendo tratado o tema. “O governo não pode utilizar o orçamento público como instrumento de chantagem para aprovar a reforma da previdência, isso não é correto, ético e nós não aceitamos”, disse.
 









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com