Deputados cobram celeridade na aprovação de auxílio emergencial para vulneráveis

Brasília, segunda-feira, 30 de março de 2020 - 12:48      |      Atualizado em: 31 de março de 2020 - 10:43

POLÍTICA

Deputados cobram celeridade na aprovação de auxílio emergencial para vulneráveis


Por: Christiane Peres

Texto deve ir à votação no Senado nesta segunda-feira e ainda precisará da sanção presidencial para ter início, de fato, a transferência de renda para trabalhadores informais.

Reprodução da Internet

Deputados do PCdoB usaram suas redes sociais na manhã desta segunda-feira (30) para cobrar celeridade do Senado na votação da proposta que estabelece uma renda emergencial para trabalhadores informais e população de baixa renda. A medida foi aprovada na última quinta-feira (26) na Câmara e precisa do aval do Senado antes de seguir para sanção presidencial. A expectativa é de que o texto seja votado naquela Casa nesta segunda-feira (30).

"Esperamos que o Senado possa aprovar a renda emergencial da forma como saiu da Câmara para evitar atrasos na tramitação. Assim que aprovar por lá vamos cobrar segundo a segundo a sanção da medida e fazer com que Bolsonaro ponha esse dinheiro na mão das famílias", afirmou a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

O deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA) também reforçou a cobrança. Segundo ele, a população necessita do auxílio urgentemente. "Muitas pessoas já sofrem com a escassez de recursos em casa, se  vendo sem opções e tendo que voltar às suas atividades mesmo com as orientações de ficar em casa, por isso é tão urgente aprovar a renda básica. Garanti-la é também garantir que o povo consiga ficar em casa e em segurança, ajudando também a conter o número de novos casos de Covid-19, pois o isolamento social tem sido a melhor forma de prevenção", pontuou Almeida.

Na última semana, a Câmara aprovou um auxílio emergencial de R$ 600,00 para pessoas de baixa renda e trabalhdores informais. O valor é o triplo do inicialmente anunciado pela equipe econômica do governo Bolsonaro e também é superior ao que estava sendo negociado inicialmente na discussão do projeto.

O auxílio será concedido durante três meses, podendo ser prorrogado enquanto durar a pandemia do novo coronavírus. O valor poderá chegar até R$ 1,2 mil por família.

A líder do PCdoB, deputada Perpétua Almeida (AC), reafirmou a importância do auxílio. "Para que a população possa ficar em casa e se cuidar é preciso ter certeza que terá condições de manter sua família. É necessário que haja alguma proteção. É isso que defendemos", afirmou.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com