Cultura aprova inscrição do nome de Manoel Mattos no Livro dos Heróis da Pátria

Brasília, quarta-feira, 18 de setembro de 2019 - 15:41

CULTURA

Cultura aprova inscrição do nome de Manoel Mattos no Livro dos Heróis da Pátria


Por: Da Redação

Comissão de Cultura aprovou proposta por unanimidade. Texto segue para deliberação na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara.

Reprodução da Internet
O advogado Manoel Mattos foi assassinado em 2009 por sua luta em contra grupos de extermínio no Nordeste

A Comissão de Cultura aprovou, por unanimidade, nesta quarta-feira (18), o projeto de lei (PL) 3868/2019, do deputado Frei Anastácio Ribeiro (PT-PB), que inscreve o nome de Manoel Mattos no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria.

Reconhecido por seu trabalho na defesa dos direitos humanos, o advogado popular Mattos foi assassinado em janeiro de 2009, por conta de sua atuação contra grupos de extermínio dos estados de Pernambuco e Paraíba. Ele prestava assessoramento jurídico a sindicatos e trabalhadores rurais e foi um dos principais depoentes da CPI dos Grupos de Extermínio do Nordeste, instaurada na Câmara dos deputados, em 2003.

O deputado Renildo Calheiros (PCdoB-PE) defendeu a aprovação do relatório da deputada Maria do Rosário (PT-RS). Renildo destacou a importância do advogado na luta dos trabalhadores rurais e contra os crimes encomendados, comuns no Nordeste.

“Esse é um personagem da nossa história que tive o prazer e privilégio de conhecer. Ele era um advogado muito jovem e corajoso. Fez a opção na vida de advogar pelos trabalhadores rurais. Enfrentou os crimes de encomenda e os grupos que estavam por trás disso. Ele sabia que ia morrer, pois na cidade se comentava que ele ia ser assassinado a qualquer momento. As pessoas se mobilizaram e pediram ajuda à OEA [Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH/OEA)], que recomendou que o Estado assegurasse proteção à vida de Manoel Mattos. Não foi suficiente Ele acabou assassinado pelas pessoas que sempre o ameaçaram. Para a nossa alegria, a luta daqueles trabalhadores prosseguiu e hoje temos a felicidade de ter a filha de Manoel dando continuidade ao seu trabalho. Você mata o homem, mas não mata suas ideias. Não há justiça quando alguém é assassinado covardemente. Não há reparação. Nossa luta, então, passa a ser buscar reconhecimento. E a aprovação deste projeto é uma bela homenagem a uma figura que deve ser considerada um herói da nossa nação, pois dedicou toda sua vida a esta causa”, afirmou o parlamentar.

O texto agora será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania na Câmara (CCJC).









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com