Deputados criticam descaso de Bolsonaro com a educação

Brasília, segunda-feira, 13 de julho de 2020 - 12:0      |      Atualizado em: 15 de julho de 2020 - 14:18

EDUCAÇÃO

Deputados criticam descaso de Bolsonaro com a educação


Por: Da Redação

Após indicação de Milton Ribeiro para o comando do Ministério da Educação, deputados do PCdoB afirmam que gestão Bolsonaro não tem compromisso com a educação brasileira e indicações “apequenam” MEC.

Reprodução da Internet
Milton Ribeiro já defendeu uso de violência para educar crianças

Em um ano e meio de gestão, o pastor Milton Ribeiro é o quarto nome a passar pelo Ministério da Educação (MEC) de Bolsonaro. A indicação do pastor foi feita na última sexta-feira (10) e deu continuidade às polêmicas envolvendo os nomes ligados à Pasta nesta gestão.

Para os deputados do PCdoB, a indicação de Ribeiro é mais uma demonstração da falta de compromisso da gestão de Bolsonaro com a educação brasileira.

“Caminha-se para quatro anos perdidos na educação brasileira. Até agora, o compromisso do presidente não tem sido com currículo técnico ou defesa da educação pública, mas com a guerra ideológica. Lamentavelmente, isso acontece numa das Pastas mais importantes. Do jeito que vai, o Brasil será prejudicado e o MEC continua sendo apequenado”, afirmou a líder da bancada na Câmara, deputada Perpétua Almeida (AC).

O vice-líder da legenda, deputado Márcio Jerry (MA) também comentou a rotatividade de ministros e lamentou o descaso do governo de Jair Bolsonaro com a educação brasileira. “A balbúrdia governamental do Jair Bolsonaro no quarto ministro da Educação em 18 meses. Um ministro a cada quatro meses e meio. Isso mostra o nível de irresponsabilidade do governo com a educação”, definiu o parlamentar.

Embora Ribeiro tenha assumido a tarefa há apenas três dias, já são muitas as polêmicas envolvendo suas falas, desde que vídeos antigos – alguns apagados – começaram a vir à tona após sua nomeação. Ribeiro já defendeu, por exemplo, a adoção de “métodos severos” de aprendizagem.

“O que devemos esperar dessa gestão?”, indagou a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) ao repercutir a defesa de Ribeiro de educação de crianças “com dor”.

Além da crítica às posturas do novo ministro, Alice Portugal defende ainda que Ribeiro seja ouvido urgentemente pelo Parlamento. “Precisamos ouvi-lo já! Saber o que pensa sobre o Enem, o Fundeb, da infraestrutura das escolas, da autonomia dos IF’s, da escola pública, gratuita e laica, afinal, ainda, não somos uma teocracia”, apontou a parlamentar.

Ribeiro também já minimizou o feminicídio ao falar do assassinato de uma adolescente de 17 anos por um homem de 33 anos, no interior de uma escola do Rio Grande do Norte, em 2013, e demonstrou ter posicionamentos semelhantes ao do ex-ministro Abraham Weintraub.

“Nova temporada do pesadelo chamado Ministério da Educação”, afirmou a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) ao postar repercussão de Ribeiro sobre o assassinato da adolescente. Segundo o novo ministro foi a “paixão” que motivou o assassinato da jovem, minimizando o crescente número de casos de feminicídio no Brasil.

Em um vídeo publicado em novembro de 2018, Ribeiro disse que o existencialismo – filosofia que coloca o indivíduo como centro do pensamento – é algo que “estão ensinando na universidade” para incentivar uma “prática totalmente sem limites do sexo”. O vídeo foi retirado do ar no sábado (11).

Para o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), “o problema do MEC se chama Bolsonaro”. “Enquanto ele aí estiver, não haverá projeto educacional que pare em pé no Brasil. Afinal, no beija-mão que fez a Trump, ele assumiu que sua missão é destruir e não construir”, disse.

*Com informações da assessoria do deputado Márcio Jerry.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com