Jerry lutará por investimentos na educação na Comissão de Orçamento

Brasília, quarta-feira, 30 de setembro de 2020 - 10:24      |      Atualizado em: 5 de outubro de 2020 - 18:34

ORÇAMENTO

Jerry lutará por investimentos na educação na Comissão de Orçamento


Por: Nathália Bignon*

Titular do PCdoB no colegiado, o parlamentar afirma que defenderá maior orçamento para a área em 2021. Comissão deve ser instalada no próximo dia 6.

Najara Araújo/Câmara dos Deputados

O deputado Márcio Jerry (PCdoB-MA) defendeu nesta terça-feira (29) a derrubada dos vetos impostos por Jair Bolsonaro (sem partido) ao Projeto de Lei Nº 1.581/2020, que previa a destinação de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) para pagamento de professores ativos, inativos e pensionistas.

Na tribuna virtual da Câmara, o parlamentar garantiu que usará sua titularidade na Comissão Mista de Orçamento do Congresso para fazer valer o direito dos profissionais da educação. A CMO deverá ser oficialmente reinstalada na próxima terça-feira (6).

“Esperamos a sessão do Congresso Nacional para que possamos derrubar esse veto aos precatórios do Fundef, e esperamos ansiosamente que a CMO se instale para que nós possamos fazer um debate capaz de assegurar que não haja a retirada de nem um centavo da educação. Ao contrário, que haja um incremento. E que também não haja a retirada de nem um centavo da saúde, ao contrário, que haja um incremento desses recursos, para que possamos fazer avançar setores tão estratégicos para o povo brasileiro”, declarou o deputado, vice-líder da Bancada do PCdoB.

Os vetos foram estabelecidos por Bolsonaro no último dia 11 de setembro. O trecho rejeitado pelo mandatário previa o pagamento de precatórios oriundos da cobrança de repasses referentes à complementação da União aos estados e municípios por causa do Fundeb. O texto aprovado pelos parlamentares garantia pelo menos 60% do valor para os professores ativos, aposentados e pensionistas, na forma de abono, sem incorporação à remuneração.

Precatórios são títulos de dívidas do poder público reconhecidos pela Justiça. Quando alguém ganha um processo na Justiça contra um órgão público em razão de dívida, recebe um precatório e entra na fila do pagamento. Os de grande valor são aqueles que sozinhos superam 15% do orçamento reservado para esse pagamento a cada ano.

Conforme a nova lei, o pagamento poderá ser dividido em 12 parcelas consecutivas para os processos em fase de julgamento (sem sentença judicial) ou em 8 parcelas para os processos em fase de execução (já decididos pelo Poder Judiciário).

*Ascom deputado Márcio Jerry









Últimas notícias

Notícias relacionadas

10/12 - 10:41 | SEMANA DE 13 A 17 DE DEZEMBRO
Penúltima semana de trabalhos deve concentrar votações

3/12 - 16:39 | SEMANA DE 6 A 10 DE DEZEMBRO
Plenário retoma votações de fora da pauta de Medidas Provisórias

19/11 - 16:39 | SEMANA DE 22 A 26 DE NOVEMBRO
Plenário avança devagar e ainda tem dez Medidas Provisórias a vencer

12/11 - 15:46 | SEMANA DE 16 A 19 DE NOVEMBRO
Plenário ainda enfrenta onze Medidas Provisórias

5/11 - 16:6 | SEMANA DE 8 A 12 DE NOVEMBRO
Votações se reiniciam com Medidas Provisórias

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com