Comunistas resistem ao desmonte da Previdência

Brasília, terça-feira, 9 de julho de 2019 - 20:16

#REFORMANÃO

Comunistas resistem ao desmonte da Previdência


Por: Camila Borges

O primeiro dia de discussões e com tentativas da base governista de atropelar e aprovar às pressas uma proposta de Reforma da Previdência nefasta em Plenário, sem esclarecer os deputados e a sociedade, foram desidratadas graças às articulações da Minoria e da Oposição na Câmara dos Deputados. Até o final da noite de terça-feira (9), os governistas não conseguiram iniciar a votação da matéria.

Luiz Macedo / Câmara dos Deputados
Alice Portugal e Perpétua Almeida se unem à mobilização das mulheres contra o desmonte da Previdência

O esforço dos parlamentares da Oposição é para discutir o mérito do projeto que foi apresentado e com isso esclarecer aos parlamentares, que ainda não conseguiram ler com a devida atenção, os danos e prejuízos dessa proposta. De acordo com o líder do PCdoB na Câmara, deputado Daniel Almeida (BA), não há espaço para negociação. “Eles não têm votos necessários para aprovar essa matéria. Esse tema é denso, interessa ao Brasil e todos devem ter conhecimento para votar consciente. Como está sendo feito, é para manobrar e atropelar o processo de deliberação e não permitir que a sociedade acompanhe os danos que essa proposta produz. Por isso vamos continuar na resistência”, disse o parlamentar.

Daniel ressaltou que os comunistas não são contra a reforma e sim contra a reforma enganosa que foi apresentada. “É mentira que vai recuperar a economia brasileira e acabar com privilégios. O povo brasileiro, os empreendedores, a economia e investidores externos não confiam no Brasil, não confiam em um presidente que não tem capacidade de apresentar nada, não há confiança para fazer os investimentos”, completou.

A deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) citou uma passagem da Bíblia e disse que a reforma é cruel com viúvas e órfãos. “Essa Reforma da Previdência tem vários itens que nós não podemos aceitar. Propõe reduzir 40% do valor das pensões por morte, recebidas pelas viúvas e órfãos. E olha que o presidente Bolsonaro e a base de deputados dele, se dizem cristãos e evangélicos, mas está na Bíblia (Isaías 10:1-2) a proibição de se fazer leis que não respeitem a dor das viúvas e que abandone as viúvas”.

Perpétua também garantiu vigília em defesa dos professores e dos trabalhadores da educação. “É desumano você deixar pessoas idosas, com mais de 65 anos em uma sala de aula, com mais de trinta alunos e crianças, como são a maioria das salas de aulas no Brasil”. Destacou que a proposta retira o direito dos policiais de ter uma aposentadoria decente. “Os policiais do Brasil inteiro estão revoltados e chamando o Bolsonaro de traidor. Isto porque Bolsonaro diz que defende a segurança pública, defende como? Só armando a população?”, questionou.

Para a líder da Minoria na Câmara, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) o governo ainda não tem nenhuma segurança dos seus votos e salientou ser fundamental a resistência e obstrução nesse momento. “É a proposta mais cruel que já chegou nesse congresso. Precisamos impedir que essa reforma seja aprovada aqui, isso é muito ruim para a grande massa de trabalhadores desse país. A Reforma da Previdência hoje é apenas para dar sinalização para o capital financeiro, ao mercado, porque não resolve nenhum problema de emprego”.

“A proposta prejudica ainda mais aqueles que precisam da previdência social brasileira. Ela afeta o princípio constitucional da seguridade social, os que mais precisam, gera instabilidade, inquietações quanto ao futuro.”, afirmou o deputado Márcio Jerry (PCdoB-MA). Ele defende que a reforma da previdência precisa ser feita com ampla participação da sociedade. “Não dá para votar de qualquer jeito e atropelar a processualidade de uma votação tão importante. Há uma movimentação combinada dirigida pelo governo federal no sentido de fazer com que haja um ato sumário, votação em tempo recorde, o que é inaceitável”.

O deputado ainda desmascarou o falso discurso do governo. “Não é uma proposta que resolva o problema do déficit previdenciário brasileiro, isso é falso, mentiroso, hipócrita e com uma retórica para iludir de que a reforma da previdência vai resolver a economia brasileira. Vamos seguir combatendo o tempo inteiro, de maneira muito resoluta, muito firme para defender o povo e impedir esse grave atentado aos direitos dos brasileiros”, completou.
 









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com