Medidas Provisórias de Temer prejudicam agricultores familiares

Brasília, quarta-feira, 11 de julho de 2018 - 20:43

AGROPECUÁRIA

Medidas Provisórias de Temer prejudicam agricultores familiares


Por: Ana Luiza Bitencourt

O impacto das MPs 839 e 842 foi discutido durante evento da Frente Parlamentar da Agricultura Familiar, nesta quarta-feira (11).

Reprodução da Internet

O desenvolvimento rural sustentável no Brasil e as condições para a produção de alimentos da agricultura familiar foram foco de discussão de uma audiência pública realizada na tarde desta quarta-feira (11), na Câmara dos Deputados.

O encontro, promovido pela Frente Parlamentar Mista da Agricultura Familiar, reuniu entidades da área, deputados e senadores para analisar e debater as Medidas Provisórias (MPs) 839 e 842, enviadas neste ano ao Congresso Nacional pelo Poder Executivo.

De acordo com parlamentares da Oposição, os textos promovem cortes drásticos no orçamento dedicado à agricultura familiar e impedem uma justa renegociação das dívidas rurais.

O deputado Givaldo Vieira (PCdoB-ES), membro do colegiado, afirmou que as propostas são prova explícita de que o governo de Michel Temer é voltado às elites e que “só cobra dos mais pobres, dos trabalhadores do campo e da cidade”.

“Este mesmo governo que não se sensibiliza às causas dos pequenos trabalhadores rurais faz agrado bilionário à bancada ruralista, os representantes dos grandes latifundiários e desmatadores do país. Ficam evidentes as prioridades dos golpistas”, defendeu o parlamentar.

A medida 839 promove uma redução de R$ 9,5 bilhões no orçamento dedicado ao setor em favor dos Ministérios de Minas e Energia e da Defesa, o que teria impacto direto em temas sensíveis como reforma agrária, assistência técnica, meio ambiente, saneamento, saúde, educação, economia solidária e promoção de condições decentes de trabalho.

Já a MP 842 acaba com a renegociação de dívidas rurais oriundas de financiamentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), do Programa de Cooperação Nipo-Brasileira para o Desenvolvimento dos Cerrados (Prodecer) e do Programa Especial de Crédito para a Reforma Agrária (Procera).

Para o secretário de Política Agrícola da CONTAG, Antoninho Rovaris, o momento é de luta. “É importante que o movimento sindical se articule com os parlamentares de seus estados para que os trabalhadores rurais não sejam mais prejudicados. A publicação das MPs demonstra a falta de sintonia entre os Poderes Legislativo e Executivo, fortalecendo o cenário de crise política no Brasil”.


Com informações da Contag e da Ascom do deputado Givaldo Vieira









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com