Desemprego bate novo recorde e já atinge 13,7 milhões

Brasília, terça-feira, 1 de dezembro de 2020 - 19:11

ECONOMIA

Desemprego bate novo recorde e já atinge 13,7 milhões


Por: Christiane Peres

Deputados cobram ação do governo e condenam fim do auxílio emergencial.

Reprodução da Internet

O Brasil registrou novo recorde de desemprego durante a pandemia. Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (1º) revelam que de maio a outubro, o Brasil viu o número de desempregados aumentar em 3,6 milhões, uma alta de 35,9% no período.

Segundo o levantamento, o Brasil encerrou o décimo mês do ano com um contingente de 13,7 milhões de desempregados. Com isso, a taxa de desemprego ficou em 14,1%, a maior da série.

O IBGE destacou que a taxa de desemprego em outubro cresceu, na comparação com maio, nas regiões Norte e Nordeste, manteve-se inalterada no Sudeste e Centro-Oeste, e caiu no Sul.

A análise aponta ainda que mulheres, negros e jovens são os mais afetados. A taxa de desocupação entre as mulheres foi de 17,1%, enquanto a dos homens foi de 11,7%. Já entre as pessoas de cor preta ou parda, a taxa é de 16,2%, enquanto o desemprego entre brancos ficou em 11,5% - o segundo mês seguido em que a taxa para brancos ficou inalterada, enquanto entre pretos e pardos registrou aumento de 0,1 ponto percentual na passagem de setembro para outubro. Entre os jovens, a taxa de desocupação é de 23,7% para aqueles de 14 a 29 anos de idade.

Para o deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA) é “urgente e necessária” uma ação do governo para estimular a geração de emprego e renda, especialmente voltada para o público mais afetado. “É o que Bolsonaro deveria fazer como presidente da República, mas ele não se preocupa com o povo”, criticou.

Apesar dos dados, o governo Bolsonaro ainda não estabeleceu qualquer medida de continuidade do auxílio emergencial para 2021. “Encerramos o décimo mês do ano com mais de 13,7 milhões de desempregados. Mesmo assim, Bolsonaro está prestes a acabar com o auxílio emergencial. É muita crueldade!”, afirmou a vice-líder da Minoria, a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), lembrando que o benefício, que foi reduzido pelo governo federal para R$ 300, só será pago até este mês.

O levantamento foi feito por meio da Pnad Covid-19, versão da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua realizada com apoio do Ministério da Saúde para identificar os impactos da pandemia no mercado de trabalho e para quantificar as pessoas com sintomas associados à síndrome gripal no Brasil.









Últimas notícias

Notícias relacionadas

Sobre nós
Contatos

Área Restrita
Login
Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, anexo II, sala T-12
Brasília-DF - 70160-900 - Telefone: 55 (61) 3215-9732
ascompcdobcd@gmail.com